40 anos da morte Che Guevara e os esperneios da direita enraivecida

guevara

Não surpreende a matéria que a Veja fez sobre Che, 40 anos depois de sua morte o cara continua sendo um espinho no pé da direita, principalmente na américa latina, que agora em tempos democráticos, vem perdendo as eleições para os candidatos de esquerda, seu ódio vem aumentando.

Ódio este que só se agravou quando Lula foi eleito, e de uns anos pra cá a revista parece que voltou para o periodo da guerra fria, nesta guerra tardia que a revista trava o MST, Fidel Castro, Lula, o PT, Chávez, as FARC e Evo Morales, os Invasores da reitoria da USP, os que votaram SIM pelo desarmamento e os cadáveres de Che Guevara e Carlos Lamarca estão em uma grande conspiração comunista que assola o nosso continente, prontos para transformar isto aqui em uma “Grande Cuba” paraíso dos esquerdeopatas, petralhas e outros membros dessa “raça”.

O problema é que agora os tempos são outros e eles não podem mais contar com o apoio da milicada, e na batalha nas urnas, apesar de toda sua ânsia de invocar uma “Marcha da Família com Deus pela Liberdade” eles estão perdendo, o máximo que conseguem é um “Cansei” com um número ridículo de figurões cheios da grana e a fiel clientela de uma parcela mais reacionária da classe média que sempre odiou o “sapo barbudo” e que acha que o Diogo Mainardi é um gênio do jornalismo.

Herói idealizado? Sem dúvida, Che foi um aventureiro, um cara que viajou de motocicleta pela américa latina toda, conheceu de perto a miséria em que vive sua população, mais tarde pegou em armas e abdicou de tudo na sua vida pelo seu idealismo, quando o ditador Batista foi derrubado viajou para por alguns dos países mais pobres do mundo pregando a revolução, morreu na Bolívia praticamente sozinho no meio da selva e desde então virou mito(e estampa de camiseta), deixou de ser um homem para virar um símbolo de rebeldia para uma juventude que queria se livrar de tudo que era velho e conservador, motivos não faltam pro cara ser idealizado, muito dessa inveja da direita é que ela não tem um ícone que seja adorado pela juventude, afinal Pinochet, Reagan e Tatcher não tiveram o carisma do revolucionário argentino.

Se fedia? acho que sim, não acredito que banho fosse uma prioridade no meio da selva com um monte de cara na sua cola querendo te matar, além do mais o cara fumava toda hora.

Se lutou pela causa certa? Em partes, muitos esquecem que na época Cuba era o puteiro dos EUA e governada pelo ditador Fulgencio Batista, o sucesso da revolução Cubana empolgou muita gente nas américas a pegar em armas para derrubar suas respectivas ditaduras que eram apoiadas e financiadas pelos EUA, na luta contra o imperialismo e a miséria Che estava certo. Cuba deu certo? não, Cuba definhou com a queda da URSS, o embargo estado-unidense e a cabeça dura de Fidel Castro, além do mais os regimes socialistas autoritários foram notórios inimigos das liberdades civis e responsáveis por terríveis massacres e violações dos direitos humanos, se era pra substituir uma ditadura por outra creio que ele estava errado.

Se foi frio ou sanguinário? bom, o cara era um guerrilheiro, o que se esperava dele? será que os mesmos que o criticam por ter sido um “monstro” pensam assim dos nossos heróis nacionais? dos colonizadores europeus? da nossa polícia, quando a mesma é mais “enérgica”?

Pelo que vejo não, pois a mesma revista que o crítica por ter sido um assassino cruel agora traz na capa um soldado do BOPE e elogia o filme “Tropa de Elite” por mostrar como se deve tratar a bandidagem, é mole?

Se querem ser iconoclastas e adeptos da não-violência porque tanto empenho em idealizar a imagem do policial herói? porque foram tão contrários ao desarmamento?

Termino este artigo com a seguinte frase:

“Nas montanhas de Chiapas ou nos acampamentos dos sem-terra brasileiros, ele está mais vivo hoje, trinta anos após sua morte, do que Fidel Castro. Mesmo que seus ossos não sejam achados.”
Matéria da Veja, de dez anos atrás.

É, vamos ver quem será o Che que a revista Veja vai matar daqui a 10 anos.

Outros artigos que tratam do mesmo assunto:

Blog Tudo em Cima

Blog do Nassif

Ecce Homo, 40 anos depois.

Aconselho também assistirem a entrevista que o jornalista Jon Anderson fez ao Globo News, nela ele afirma categóricamente que a revista Veja distorceu frases do seu livro para denegrir a imagem de Che.

5 comentários em “40 anos da morte Che Guevara e os esperneios da direita enraivecida

  1. A Veja parece ter uma obsessão com a higiene de algumas figuras da esquerda. Primeiro foram os furúnculos na bunda do Marx, agora é o fedor do Che.
    Ótimo post.

  2. É, infelizmente ainda tem pessoas que lêem essas coisas, acho que até que não costumam ler as coisas de maneira crítica, enxergam as distorções que a Veja costuma fazer … Espero que isso os leve a auto-destruição..rs, meu desejo é apenas em prol dos miolos ingênuos que registram tais informações…sério, vai escrever merda assim lá na casa do caralh*

  3. dificil pro capitalismo aceitar a bravura e a coragem de CHE GUEVARA! homem de importancia extraordinaria nossa historia. simbolo da revoluçao… Vale a pena revolucionar, questionar e procurar nossos direitos…

  4. Che foi o sicialista mais importante para o mundo a traiçao pelo fidel castro mostra a inveja ke ele tinha do che

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *