Joinville – Campanha Protesto não é crime!

Olá companheirada,

Estamos pedindo solidariedade e apoio do campo popular para a situação de criminalização e perseguição política que lutadores e lutadoras sociais estão sofrendo em Joinville.

Desde 2014, mais de 20 processos se acumulam sobre 5 participantes das lutas pelo transporte público na cidade, alguns deles em andamento e com risco de condenações. Há quase um ano se articula em Joinville a campanha “Protesto não é crime!”, para garantir apoio político, financeiro, jurídico e mobilização em defesa das pessoas criminalizadas. A campanha é composta por vários movimentos, entidades e organizações de esquerda na cidade.

É importante ressaltar o caráter político desses processos, que são embasados na participação em atos de rua, atividades dos movimentos sociais e falas públicas, como se fosse crime lutar.
Mais informações: http://www.cabn.libertar.org/joinville-campanha-protesto-nao-e-crime-2/

Além disso, desde o início de 2015 a companheira Viviane, dirigente sindical do SINTE em Joinville, sofre processo administrativo e corre risco de perder seu emprego. O motivo do processo é sua participação junto à comunidade escolar na decisão de não iniciar as aulas na escola João Martins Veras, que enfrenta sérios problemas de infraestrutura. Mais um exemplo de perseguição à luta social.
Mais informações: http://www.cabn.libertar.org/estado-presente-a-repressao-atua-fortemente/
Pra dar resposta a esses ataques, a Campanha “Protesto não é crime” – dentre outras ações – está realizando uma mobilização de solidariedade e apoio pela internet, através da página de Facebook: https://www.facebook.com/protestosim

Há uma campanha de fotos com o mote “E se fosse você?”, na qual todo mundo pode participar, bastando tirar uma foto com o cartaz. Além disso, a campanha está aceitando notas e moções de apoio. Toda divulgação é importante para fortalecer a campanha e impedir os processos.

Chamamos movimentos, entidades e organizações para se somar na luta contra a criminalização da luta em Joinville e no resto do país.

Por: JG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *