MBL e escola sem partido – As ideias fora de lugar

O Movimento Brasil Livre e apoiadores do deputado proto-fascista Jair Bolsonaro protocolaram hoje na Câmara de Vereadores de Florianópolis o projeto de lei “Escola sem Partido” (ESP).

O nome do projeto que parece atraente, já que ninguém da comunidade escolar (responsáveis, profissionais da educação e estudantes) defende a partidarização do ensino. No entanto, o conteúdo do ESP é um ataque ao ensino de conteúdos voltados para cidadania e pensamento crítico, em especial, para discussões que envolvam a violência de gênero, etnia e orientação sexual.

O silencio da MBL por meses após as eleições municipais é facilmente explicada pela nomeação pelo prefeito Gean Loreiro de alguns dos seus membros, entre os mais 300 cargos comissionados, na prefeitura.

 

 

Nas fotos abaixo Henrique Carminatti membro do MBL aparece com uma camiseta com o símbolo da Gadsden, com os dizeres “não pizes em mim”, mesmo símbolo visto nas manifestações violentas da extrema direita americana na cidade Charlottesville, na Virginia (EUA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *