A briga dentro do Golpe

Alguns pitacos, Operação Abafa a Jato em curso: O editorial do Estadão malhando o Dallagnol, o Gilmar Mendes reclamando com um certo “atraso” das longas prisões preventivas da República de Curitiba, a indicação de Moraes e a revolta de agentes da PF contra o diretor-geral mostram que parte do status-quo se volta contra a operação. Afinal, ela já atingiu parte de seus objetivos: derrubar o governo eleito, destruir o PT e aniquilar a imagem pública da Petrobras, abrindo caminho para as privatizações e desmanche da política de conteúdo nacional. Só não conseguiram prender o Lula ainda, para garantir que se elegem em 2018. Levar a operação em frente agora vai levar todo o governo Temer e praticamente todos os partidos para o buraco e ferrar ainda mais a economia.

A ordem agora é segurar a onda para que consigam aprovar rapidamente a reforma da previdência e trabalhista, já que a PEC55 já passou. Resta saber até quando setores do Judiciário e da Policia Federal vão aguentar quietos, e até quando os grandes egos da República de Curitiba vão aguentar sem o brilho dos holofotes. Pode ser que a briga dentro do golpe traga bons frutos e escancare de vez toda a podridão, jogando mais lenha na fogueira.

Um comentário em “A briga dentro do Golpe

  1. “aniquilar a imagem pública da Petrobras, abrindo caminho para as privatizações e desmanche da política de conteúdo nacional”

    Ah, a culpa da Petrobras ter sido prejudicada é dos investigadores e da mídia? O que devia ser feito então, ter deixado tudo quieto e o PT continuar roubando dinheiro da empresa? Não me parece nem um pouco razoável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *